quarta-feira, 4 de maio de 2016

Bolo Aniversário Pai (2016)


Ontem quando cheguei a casa depois do trabalho, pus mãos à obra e fiz um bolo pequenino para oferecer ao meu pai no dia seguinte (4 Maio), é que ele completa hoje 76 anos, e não é todos os dias que se faz esta idade... com uns percalços pelo meio, mas tudo superado e hoje com saúde. Muitos Parabéns pai, que contes muitos mais com saúde!! Beijinho!!


Para a massa e creme do bolo usei esta receita aqui, a decoração foi feita com açúcar granulado, a representar o emblema do Sporting Clube de Portugal, que ele adorou e até teve pena de cortar a primeira fatia... hihihi

Para o ano à mais!!


quarta-feira, 27 de abril de 2016

Torta de Cenoura Escorrida



Nada melhor que para esquecer o "menos bom", ouvir uma canção interpretada magistralmente pela brasileira Maria Gadú... lindo, lindo... e amanhã é outro dia e tudo...

(...)
Tudo porque, só por causa do moreno
Que era grande, hoje é pequeno
(...)
Se uma flor desabrocha
E o sol queima
A montanha vai gelando
Lembra o cheiro da morena
(...)
No Rancho Fundo Letra de Ary Barroso





Ingredientes:

500 g cenoura
1 pau de canela
4 clh. sopa farinha
400 g açúcar
4 ovos inteiros
1 laranja raspa e sumo
1 clh. de chá de fermento em pó
1 gaze


Preparação:

Descasque as cenouras e coza-as num tacho com água e um pau de canela. 
Depois de cozidas, escorra-as, triture-as com a varinha mágica, forre um escorredor com uma gaze esterilizada e deite dentro a cenoura triturada e deixe-a ir escorrendo os sucos.
Entretanto bata os ovos inteiros com o açúcar muito bem.
Escorra o puré de cenoura mais firmemente apertando a gaze e depois deite então o puré da cenoura dentro do preparado anterior.
Junte depois....
Forre um tabuleiro quadrado (28x28 cm) com papel vegetal e unte-o de margarina, depois vaze o preparado anterior e leve a forno moderado a 180º cerca de 20 a 25 minutos.
Numa mesa coloque um pano, polvilhe-o com açúcar e desenfor-me a torta em cima dele, eu costumo enrolar logo de seguida com a torta ainda quente, à quem faça de outro modo.


sexta-feira, 22 de abril de 2016

Tarte de Amêndoa


Esta tarte ainda é mais saborosa passado uns dias, bem... ou então, era eu que estava mais gulosa nos dias seguintes, hihihi.


Ingredientes:

1 base de massa folhada
120 g de açúcar
4 ovos
80 g de manteiga
200 g de miolo de amêndoa moído


Preparação:

Numa tarteira coloque a massa folhada e pique-a com um garfo e reserve.
Junte o açúcar com os ovos inteiros e bata muito bem.
Adicione depois a margarina derretida, o miolo de amêndoa e envolva muito bem.
Vaze o preparado na tarteira e leve a forno a 180º, cerca de 30 minutos.


segunda-feira, 18 de abril de 2016

Bacalhau Frito de Cebolada


“Os meus romances no fundo são franceses, como eu sou em quase tudo um francês – exceto num certo fundo sincero de tristeza lírica, que é uma característica portuguesa, num gosto depravado pelo fadinho, e no justo amor do bacalhau de cebolada"
Carta endereçada por Eça de Queiroz, em 1884 ao seu amigo Oliveira Martins. (Queiroz 2008: 331)
Porta da Tapada
Vinho Tinto
Adega Cooperativa
Azueira - Mafra

Ingredientes:

3 postas de bacalhau demolhado
5 cebolas
3 tomates limpo de peles
4 dentes de alho
1 folha de louro
azeite q.b.
sal e pimenta q.b.
farinha q.b.
salsa a gosto
batatas, cortadas em rodelas

Preparação:

Com um papel absorvente enxugue as postas de bacalhau e passe-as por farinha, retirando o excesso.
Leva o bacalhau a fritar em azeite e no final escorra-as em papel absorvente.
Com um passador coa-se o azeite de fritar o bacalhau para a frigideira onde se vai preparar a cebolada, da seguinte forma: junta-se as cebolas cortadas às rodelas, o alho picado, o louro, o tomate, o azeite e tempera com um pouco de sal e pimenta, depois leva tudo a lume brando até a cebola ficar translúcida.
Numa travessa coloque o bacalhau frito ao centro, por cima do bacalhau a cebolada, a salsa picada e em redor as batatas fritas às rodelas.


quinta-feira, 14 de abril de 2016

Café Frizado de Limão



Hoje, 14 de Abril é o dia Internacional do Café

A bebida mais popular em todo o mundo, é o café, eu por mim não passo sem pelo menos uma chávena dele por dia. 
O café mais caro do mundo é produzido na Indonésia e Filipinas pelo civeta, não "civeta" não é o nome de uma empresa... civeta é um pequeno mamífero que se alimenta de grãos de café maduros, o seu sistema digestivo aproveita apenas a polpa dos grãos e expele pelas fezes os grãos cheios de nutrientes, depois disso é feito um processo de limpeza antes que os grãos sejam torrados. Como um civeta apenas consegue digerir cerca de 25 grãos por dia e o processo de digestão é demorado, o ritmo de produção é muito lento, o que torna o preço do café muito caro, não acessível a qualquer pessoa.
Estes animais são explorados e tratados com crueldade em jaulas muito pequenas, ao mesmo tempo que os alimentam compulsivamente para a produção aumentar, pois é... infelizmente mais uma vez o dinheiro fala mais alto.

 A bebida da minha autoria que vos apresento não foi preparada com café civeta, mas sim com um simples mas saboroso café Delta.




Ingredientes:

1 limão
1 água Frize limão
1 café expresso de máquina
gelo, a gosto


Preparação:

Num copo bem frio, deite uma rodela de limão, cubos de gelo e água Frize de limão, depois tire um café expresso e vaze de uma só vez no copo. Nada mais simples, depois é só deliciar-se num dia de calor com esta bebida bem fresca.


Foto do civeta, retirada de: http://www.tocadacotia.com/
http://greensavers.sapo.pt/2013/11/16/cafe-mais-caro-do-mundo-banido-do-menu-de-tres-hoteis-de-luxo-por-crueldade-animal/

domingo, 10 de abril de 2016

Pão de Leite de Chocolate


Às vezes algumas pessoas dizem-me que não sabem como eu gosto de cozinhar, andar de roda dos tachos, etc, eu costumo responder que para mim é um prazer cozinhar coisas para aqueles que eu amo, nem a propósito encontrei esta citação que para mim exprime magistralmente o que sinto quando cozinho.

"Cozinhar não é serviço, meu neto", disse ela. "Cozinhar é um modo de amar os outros." 
in O Fio das Missangas, Mia Couto


Ingredientes:

500 g de farinha
50 g de açúcar
50 g de manteiga
2,5 dl de leite
1 clh. café de sal
20 g de fermento de padeiro
50 g de cacau em pó


Preparação:

Junte a farinha, o açúcar, o sal, o fermento diluído num pouco de leite morno, a manteiga amolecida e vá amassando, ao mesmo tempo que vai juntando o leite aos poucos.
Depois de amassar durante uns minutos, divida-a em duas porções e numa delas junte o chocolate em pó, amassando novamente esta massa.
Com a massa faça duas bolas e deixe levedar em local aquecido até que dobrem de volume.

Com um rolo estique as duas massas, de forma a que fiquem em retângulo. Sobreponha-as e enrole de modo a ficar um rolo e leve novamente a levedar.

Forno pré-aquecido a 180º.


Fonte:"No soup for you"

segunda-feira, 4 de abril de 2016

Viradinho de Banana




Este "Viradinho" foi feito num  fim de semana de chuva e frio. Nada melhor num dia cinzento, do que uma manta, um maple, um bom filme, um chá, uma fatia de bolo caseiro e a família reunida, não acham?

O bolo é tão fofo e suave que se desfaz na boca, simplesmente delicioso!!
O filme que vimos também é de derreter o coração, já tinha visto no cinema quando saiu e voltei a rever agora em dvd, e sou capaz de voltar a revê-lo em breve, é o "Divertida Mente" produzido pela Pixar  e lançado pela Disney.



Ingredientes:

75 g de açúcar amarelo
2 clh. sopa de manteiga
2 bananas maduras
nozes q.b.
110 g de manteiga
195 g de açúcar branco
2 ovos
170 g de farinha
2 colh. chá de fermento em pó
2 dl leite
nozes em pedaços e passas (não usei) q.b.


Preparação:

Derrete-se a manteiga em lume muito brando com o açúcar amarelo , mexe-se e logo que começar a borbulhar retira do lume e coloca no fundo de uma forma, que já untei previamente dos lados.
Dispõem então a banana cortada em rodelas e os pedaços de noz e entretanto prepara a massa do bolo.
Bate-se as gemas com o açúcar branco até ficar um creme branqueado, junta-se a margarina derretida mas quase fria, o leite e depois a farinha com o fermento peneirados.
No final envolve-se as claras batidas em castelo e deita-se a massa na forma com cuidado.
Forno brando (160º) durante 30 a 35 minutos e depois de sair do forno só se desenforma uns 5 minutos depois.


* Receita adaptada de "O Livro de Pantagruel" de Bertha Rosa-Limpo, 77ª edição, livro nº207

Viradinho, o que é?



Tenho andado entusiasmada a ler a "Bíblia" da culinária que a minha filha me ofereceu, que se chama "O livro de Pantagruel" da Bertha Rosa-Limpo, e numa das mil cento e tais páginas do livro, surgiu um nome que me deixou entusiasmada - viradinho - segundo o livro os viradinhos "são fofos, de contextura; aromáticos e leves pela frescura e aroma das frutas (...) Ao distribuir as frutas no fundo da forma (...) deve-se ter em atenção que essa é a parte que no final fica voltada para cima.."*, ora cheguei então à conclusão que viradinho era tipo o bolo de ananás que depois de desenformado fica com o ananás no topo... sim é algo do género, mas a textura e sabor do bolo não têm nada a ver com o tradicional bolo de ananás invertido. Experimentei o viradinho de bananas e adorei, agora venham mais viradinhos para experimentar.


* in pagª 891 "O Livro de Pantagruel" de Bertha Rosa-Limpo, 77ª edição, livro nº207. 

quinta-feira, 31 de março de 2016

Tortilha de Chouriço


A tortilha (origem espanhola) é uma omelete não enrolada de ovos com batata e outros ingredientes. A variedade de ingredientes pelos quais podemos optar é imensa, cá em casa os favoritos são o chouriço, o frango desfiado e o camarão.



Ingredientes:

4 ovos
1 batata
chouriço, a gosto
salsa, a gosto
sal q.b.
pimenta q.b.


Preparação:


Comece por por descascar a batata e cortar em cubos pequenos e numa frigideira com um fio de azeite deixar as batatas fritar um pouco.

Numa tigela batem-se os ovos, com a salsa picada, o sal, a pimenta.
Depois das batatas fritas no fio de azeite, deite o preparado de ovos na frigideira e coloque umas rodelas de chouriço por cima, tape com uma tampa a frigideira e coloque o lume no mínimo, para que a tortilha vá cozendo lentamente.
Quando os ovos cozinharem é só passar a tortilha para um prato e saboreá-la.
Nota: Se achar que quando as batatas estiver cozinhadas, a frigideira tiver muito líquido escorra um pouco, porque basta a frigideira ser anti-aderente para a tortilha não pegar.


sexta-feira, 25 de março de 2016

Bolo de Páscoa (Guarda)


Este ano não queria fazer o tradicional folar de Páscoa, queria fazer algo diferente mas que tivesse raízes portuguesas, optei então por fazer estes Bolos de Páscoa, uma receita tradicional da zona da Guarda, segundo o "Livro de Cozinha de Portugal - Beiras" de Maria Odete Cortes Valente. A nível estético ficaram lindos na minha opinião e o seu interior também é bastante agradável, como terão oportunidade de ver pela receita abaixo, estes são bolos de massa finta.
Santa Páscoa para todos vocês e respectivas famílias.

Ingredientes:

1 kg de farinha
10 ovos
2,5 dl de azeite
30 g de fermento padeiro
1 pitada sal
200 g de açúcar
Água morna
gema de ovo
açúcar para polvilhar


Preparação:

Desfaz-se o fermento no num pouco de água morna e e juntam-se a farinha, o azeite, o açúcar e os ovos, aos poucos, de início pode começar por amassar numa taça com uma colher de pau, depois para o final terá mesmo de colocar as mãos na massa e amassar bem.
Deixa levedar em local quente, durante 4 horas (dependendo a temperatura ambiente onde levedou), a massa aí deverá ter crescido para o dobro de volume.
Tenda umas bolas como se fosse para pão e pincele com uma gema de ovo diluída com um pouco de leite, depois polvilhe com um pouco de açúcar no topo de cada bolo.
Forno quente a 200º, até dourar um pouco depois baixe para os 180º até cozer.
Fiz cinco bolos mais pequenos numa fornada e fiz um último maior.


Fintar


Fintar, em termos culinários significa, fermentar, fazer levedar.

Quando dizemos que a massa vai "fintar", queremos dizer que vai levedar num termo mais usado nos dias de hoje, ou seja, a massa deve duplicar o seu volume, sendo colocada sempre num local aquecido, o tempo que demora esse depende muito da temperatura ambiente do local onde ela é deixada.



terça-feira, 22 de março de 2016

Pão de Ló de Batata





Para além da festa cristã que a Páscoa representa,  para mim pessoalmente, esta é uma época também com outro significado muito importante e que é a passagem do tempo cinzento e frio, para uma época de luz, cor, com a natureza a despertar através da Primavera, as flores no campo, o azul do céu, o chilrear dos pássaros logo pela manhã (tenho a sorte de viver no campo e só trabalhar na cidade), a roupa mais clara, leve e colorida, os sapatos mais abertos, entre outras coisas... Simplesmente maravilhoso, pena que este ano o início da Primavera tenha sido com chuva.



Ingredientes:

8 ovos
250 g de açúcar
115 g de farinha de batata
1 clh. de chá de fermento em pó

açúcar em pó e canela q.b.


Preparação:

Separe as gemas das claras e bata estas últimas em castelo.
Junte o fermento com a farinha.
Bater as gemas com o açúcar com a batedeira até ficar um creme fofo e aumentar um pouco de volume.
Junte as claras ao preparado anterior, mas não bata, envolva antes com uma vara de arames, fazendo movimentos de baixo para cima.
Proceda do mesmo modo, em relação à farinha e fermento, peneirados.
Forno brando (160º) durante mais ou menos uma hora.
Forma 24 cm diâmetro por 10 cm de altura.
Depois do bolo frio, polvilhe com um pouco de açúcar em pó e canela.


 

Papinha Doce Template by Ipietoon Cute Blog Design